Da redação

A história de Beto Ambrósio é espetacular. Foram mais de dois anos e meio pedalando pela América Latina, longe da família, dos amigos e da rotina. O que poderia ser sido uma experiência assustadora dado o grau de extremismo da aventura, foi convertido em uma grande viagem de conhecimento e autoaprendizado. “Eu nunca estudei e trabalhei tanto na minha vida”, revelou o paulistano em uma entrevista de 2016.

Beto começou a jornada saindo de Araraquara, no interior de São Paulo. Desceu até o extremo sul brasileiro, a cidade de Chuí, no Rio Grand do Sul, adentrando, pouco tempo depois, no primeiro destino fora do Brasil: o Uruguai. Cruzou a terra de Pepe Mujica, a Argentina e o Chile. Subiu pela Cordilheira dos Andes e se embrenhou pela América Central, até chegar no México. De lá, largou a leal companheira, sua bike, e voou até Cuba.

Beto regressou a América do Sul, com parada na Colômbia. Foi para a Venezuela e retornou a pedalar até Roraima, no extremo norte do Brasil. Dali, voltou junto de sua Bike para Araraquara, mas não sem antes passar pelo Norte, o Nordeste e parte do Sudeste brasileiro.

A jornada pela América Latina foi visibilizada de duas formas: nos primeiros 15 meses, Beto sobreviveu com a ajuda de um patrocinador; nos meses seguintes, contou com a ajuda popular através de um financiamento coletivo online. E o auxílio das pessoas não parou por aí. “A pessoa te conhece e em 5 minutos ela te convida para ficar na casa dela”, relembra Beto ao falar do amparo que recebeu dos até então desconhecidos, ainda na mesma entrevista.

O aventureiro também é um amante da fotografia. Através das incríveis imagens feitas ao redor da América Latina, desenvolveu o projeto Fé Latina. “Um livro feito a base de amor, feijão e bicicleta!”, como descreve ele no site oficial do projeto.

As melhores imagens do sensacional rolê do Beto, você confere abaixo:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here